Rissut Resmunga #05 – Sexo Frágil

Brasileiro, professor, podcaster, indignado, homem, resmungão… Este é Thiago Rissut. Então preparem-se para mais um episódio do “Rissut Resmunga”. E qual é o tema de hoje? Os abusos cometidos por alguns homens. Aponte, critique, denuncie, resmungue… Aqui, os inconformados com a forma como alguns imbecis, frustrados, cabeças ocas cheios de braços, se comportam no transporte público, na rua, em bares e baladas poderão ouvir a opinião dura e sincera de Thiago Rissut. Portanto galera, una-se ao nosso resmungão e venha também se indignar contra o comportamento de alguns filhos da put* que não sabem distinguir a realidade de um filme pornô. Não aceitaremos ser tocadas, não nos conformaremos com o men sitting. Não nos intimidaremos pelos idiotas.

Oferecimento:

Link citado no episódio

PQP128 – Por que as Princesas Disney contam a História do feminismo? #OPodcastÉDelas

Promoção do RAU
  • Danielle Nunes

    Homem falando dos abusos dos homens!?
    O Thiago procurou saber qual era a ideia da campanha? A ideia é dar espaço as mulheres e não falar por nós, umas vez que todo dia temos que viver ouvindo homens falando por nós, e não precisamos de homens que falem por nós, precisamos de homens que nos dêem voz e ouvidos.
    Quatro Rissut Resmungas ótimos e esse. Podia ter seguido a linha do Bela, Recatada e do rau, espero que aprenda com o erro que cometeu.

    Caso não tenho lido a proposta:
    “…a campanha #OPodcastÉDelas, que tem como objetivo gerar maior visibilidade e espaço para as mulheres na mídia.
    Os episódios especiais trarão assuntos voltados para o empoderamento feminino e darão espaço para as mulheres falarem.”

    • Thiago Rissut

      Oi Dani.
      Como vai?

      Obrigado pelo retorno recheado de chibatadas rsrsrs.

      De fato, houve um equívoco de avaliação. Mencionar a campanha é o caminho certo a seguir por todos que a admiram e apoiam. Mas, de fato, não cumpri a sua proposta.

      Fica a menção à campanha, embora eu não a tenha representado, isto é, dado o devido espaço à opinião feminina. Sem dúvidas, o episódio seria infinitamente mais rico e coerente.

      A gente vai aprendendo…
      Fizemos um episódio que só contou com perrengues cômicos em transportes, e não mencionamos a séria indignação de uma ouvinte.
      Aí tentei fazer isso e saiu isso aí rsrs…

      Mas sabe… a tentativa foi exatamente por dar ouvidos a uma indignação feminina. Como você mencionou, voz e ouvidos é o que vocês precisam… (não, não precisam… merecem.. diariamente..)

      Ela falou e eu ouvi.

      Quando resolvi falar também, foi por não aceitar e não conseguir me manter alheio a algo podre, na minha torta visão.

      Penso que não é se omitindo que se chama atenção, mesmo que a causa seja dos outros. Hoje sou filho, já fui marido e um dia penso em ser pai. Vá saber o que me espera. Mas como não se incomodar?

      Não entenda como defesa. Porque isso eu já disse no episódio que vocês não precisam. Mas entenda como solidariedade, que pra mim é o que mais falta nas relações sociais. Se colocar na dor do outro, embora você não a sinta (seja um abuso, seja um preconceito, seja violência da qualquer espécie) te coloca a um passo de não cometer os mesmos erros.

      O próximo passo é agir. Nem que seja errando miseravelmente ao fazer isso…

      Os outros episódios nem foram ótimos e nem esse será o pior rsrs… Mas eu já me sentiria extremamente grato se você tentasse ver a boa intenção por trás da má execução. Me dá esse presente?

      Um abraço apertado pra você e todas/todos que se sentirem representados pelas suas colocações.

      Até!

      Thiago Rissut

      • Danielle Nunes

        A questão é: Quando você era marido, você fala pela sua esposa? Você escolhia o que era bom ou não pra ela?
        Partindo da sua lógica, se eu tenho empatia por você que já foi casado, posso falar por você, ao invés de você?
        Agradeço se colocar no meu lugar é de muitas mulheres, mas você demonstra realmente que se importa com a questão, quando entende que homens de mais já falaram por mim, que agora é hora d’eu falar.

        • Thiago Rissut

          Certo, Dani.

          Não concordo plenamente com você.

          Todo movimento envolve prós, contras e simpatizantes de ambos os lados.

          Solidariedade é um conceito que transcende questões raciais, de gênero, de nacionalidade, de sexualidade… na minha porca opinião, obviamente..

          Fosse assim ninguém poderia se consternar pela discriminação do gay, pelo desalojamento de um indígena, pela morte de uma criança síria na praia… sendo esta pessoa heterossexual, brasileiro e não-indígena…

          Existe um ponto passivo entre nós… é a hora de vocês falarem. Fato indiscutível.

          O que tá em debate é o estômago que eu tenho que ter (e outras pessoas com pensamento semelhante) para ler no jornal que um cara quebrou o braço de uma menina na balada, porque ela não quis beijá-lo, fechar a matéria e dizer “ah.. a luta é dela”…

          Embora tenha me expressado assim no cast, equivocadamente, não falei por mulheres.. quem sou eu?
          Falei por quem acha que tem muita coisa errada há muito tempo… e se importa…

          Se importar ainda é uma qualidade do ser (cada vez menos) humano … porca opinião, de novo…

          Entende meu ponto?

          (Diz que sim, não seja má, anda, diz que siiimm… lê com a voz do Quico haha)

          Obrigado pelo seu belo posicionamento.
          Enriquecedor.

          • Danielle Nunes

            Quando foi que você teve o seu direito de falar e/ou expressar, tirado?
            Quando pessoas disseram pra você, como agir, como pensar e como se portar?
            É como disse, agradeço o apoio, mas não preciso de ninguém falando por mim. Se você não é o tipo de homem babaca, nós mulheres saberemos reconhecer, não precisa bradar aos 4 ventos, que você não é. Sou tão inteligente quanto você, saberei discerni quem presta, de quem não presta

          • Thiago Rissut

            Certo.

            Obrigado pela participação e troca de ideias.

  • Estou de coração aquecido por conta deste episódio.

    • Thiago Rissut

      Oi Day!

      Positivamente ou negativamente? Rs..

      O dia e os feedbacks até o momento me fazem perguntar..

      Antes de tudo, obrigado por ouvir.

      Até mais.

      Rissut

      • Então, eu estou sabendo e vendo que as pessoas estão levando para o lado negativo.
        No meu ponto de vista, este programa foi um grito feminino ao direito de ser vista como um ser humano comum. Não veio de um som feminino, um timbre comumente mais agudo, mais suave ou o que seja lá que as pessoas queiram, mas é um grito de uma mulher.
        Vamos lá, se um homem está conseguindo se incomodar com as dores que as mulheres carregam diariamente, então a coisa está ficando feia. O timbre diferente, o grito vindo de outro corpo só ajuda a atingir mais e mais gente.
        Concordo com você, se as pessoas querem buscar guerra entre grupos, então eu desisto da humanidade. Mas enquanto tiver gente de todos os grupos se unindo à luta, então eu continuo crendo que podemos ser melhor.

        Sinceramente posso ficar o resto da vida discorrendo sobre o quanto apoio este cast, mas é mais fácil exemplificar o meio apoio dizendo que sou hétero, mas brigo e luto para que a comunidade LGBT possa viver em igualdade à mim e à todos os outros. Vai ter um grupo dizendo que é errado, mas eu vejo apenas como um aumento a voz.

        Sim. Meu coração está aquecido e apaixonado por este programa e duvido que alguém vai conseguir mudar isto.

        Por mim, pode ficar tranquilo.

        OBS: A unica coisa que me incomodou foi raspar na política, mas vou ignorar isto para não tacar uma cadeira na sua canela (a minha altura me impede de tacar na cabeça).

        • Thiago Rissut

          Meu coração está aquecido após esse comentário… hahaha

          Obrigado pelo apoio.

          Não quero me estender por esse canal, pra que todas as opiniões sejam recebidas e respeitadas, como deve ser. É ao que se propõe a Galera do RAU.

          Mas seu exemplo é perfeito e fala mais do que eu poderia expressar.

          Ps do Ps: foi mal rs.. e se vc se esforçar, a cadeira alcança minha cabeça sim.. rsrs

    • Darley Santos

      Se me permite fazer uma pergunta: é parente em algum grau do Renato Aragão e da Lívian Aragão? (Pode ignorar perfeitamente essa pergunta, será uma resposta razoável).

      • Thiago Rissut

        Ignora não q eu tb fiquei curioso.. hahaha

      • Só responderei quando o Diogo Bob contar o que o fez parar de beber.

        • Darley Santos

          Vish… condicionou uma potencial treta

  • Darley Santos

    Tá certo, é isso mesmo, não dá pra tolerar certos tipos de escrotices! E sim, há vários tipos de violência, e a violência moral ou psicológica é a pior, pois mina a pessoa por dentro tentando levá-la a auto-implosão… Só não entendi a associação de “cristão” com “fraqueza” ou fragilidade, mas tudo bem…

    • Thiago Rissut

      Darley, tive que reouvir o episódio para saber do que você estava falando…

      Falei frágil como um CRISTAL…. não como um cristão!… hahahaha

      Dicção de mer..[cobre] essa a minha… hehe

      Obrigado pela msg, por ouvir e apoiar.

      Abração!

      • Darley Santos

        Putz kkkkkkkk! E eu tentando estabelecer hipóteses para a associação entre as palavras kkk.

        • Thiago Rissut

          Hahaha..
          Já arrumei treta demais nesse episódio…
          Quero outra com religião não… hahaha

  • Rissut, ótimo cast. Só uma coisa aqui: a tag “machismo” está com x de xvideos.

    Sim, a luta é de toda a sociedade. Recentemente eu tive uma discussão dessas com minha esposa. Eu estava falando que o machismo também vitima homens que não se encaixam no perfil do machão (que provavelmente não ouvem podcast). Sempre vencer, sempre conquistar, sempre atacar pra não ter que se defender.

    Homens não são considerados hábeis pra criar os próprios filhos. Não é incomum vermos juízes dando causa pras mães em detrimentos dos pais. Conheço alguns casos em que a mãe é relapsa e o pai é muito presente. Em um deles, era um professor meu, ele precisou que os 4 filhos dissessem que queriam ficar com ele pro juíz, que se era pra morar com a mãe, que queriam morar com a avó ou uma tia. Triste.

    Quem não sofre com o machismo, afinal?

    Olha que curiosa esta campanha:
    https://noticias.terra.com.br/mundo/america-latina/o-polemico-banco-com-penis-do-metro-da-cidade-do-mexico,1f5fcc8b09207b4f0f9eca7a94f143d1ogprhvd2.html

    • Thiago Rissut

      Leandro, muito obrigado por ouvir e pelo apoio.

      Concordo com todas as questões que levantou.

      Concordo inclusive que tá na hora de atualizar a versão do processador ortográfico do Rauzito. O ridículo erro em “machismo” já foi reparado.

      Forte abraço!

  • Bróder, você estava inspirado neste episódio! Muito bom! Um dos melhores esporros na classe (supostamente) máscula brasileira! Porrada! 8)

    • Thiago Rissut

      Merecem esporros diários…
      Pra aprender a ser homem de verdade…

      Obrigado, Grande Pensador!
      Abração!

  • Tiago Ramos Melo

    O resmungo mais que inevitável para esses caras chatos, beberrões, gosta de aproveitar de tudo e ainda ser mais agressivo, é difícil entender a mente de um ser humano e principalmente alguém que quer ganhar vantagem ou saber intimidar principalmente uma mulher, espero que um dia (aí não depende só de mim e do meu xará, mas de toda a sociedade) essa desigualdade acabe não só contra as mulheres, mas sim aos outros genêros pois a questão ainda cultural é bem rigoroso e rígido e a aceitação é questão do gosto da pessoa e assim que tem aceitar. Valeu pelo esporro Rissut!

    • Thiago Rissut

      Valeu, xará.

      É o que todos esperamos.

      Mais respeito… com quem quer que seja..

      Abração!

  • Angélica Alves

    Olha, eu entendo a parte da “polemicona” referente aos homens falando por nós, e até certo ponto concordo com ela. Muitas vezes os caras acabam, com a melhora das intenções, falando um bocado de besteira e deixando a gente sem lugar.

    Mas eu sou uma feminista liberal e acho que você foi PERFEITO nas suas colocações, principalmente porque faz o que a gente gostaria que todos os homens fizessem: em vez de tentar teorizar sobre a nossa luta, se esforçarem pra fazer com que seus parsas deixem de ser escrotos. Isso porque, infelizmente, tem homem que só ouve quando tem outro homem falando.

    Tô amando os resmungos, cada vez mais! Beijos!

    • Thiago Rissut

      Caraaca! Ganhei um PERFEITO!!! hahaha…

      Muito obrigado, Angélica!

      Recebo com muita satisfação, não apenas o elogio, mas também o entendimento de que, da maneira correta, todos podem (devem?) se posicionar…

      Beijão!