Mundo de Bob #05 – O queijo que vem do leite

Transcrição de último relatório de membro raúnico via mensagens instantâneas:
Rauzito diz: Diogo Bob, detectei que seu id remoto encontra-se com status online.
Diogo Bob diz: Putz, fala Rauzito. Tô editando!
Rauzito diz: Detectei isto também.
Diogo Bob diz: Tá, mas o que você quer?
Rauzito diz: Minha tarefa é verificar se o protocolo “Mundo de Bob” já está finalizado para lançamento.
Diogo Bob diz: Você não detectou que estou terminando de editar.
Rauzito diz: Obviamente, mas estou ativado em um processo conhecido pelos humanos como cobrança.
Diogo Bob diz: Falta muito pouco. Estava pensando em como as pessoas gostam de discordar, justamente para para ter a razão, só pq têm que defender o seu lado, mesmo quando usam argumentos que também afeta o seu lado.
Rauzito diz: Meus sistemas avaliam que a afirmação proferida é verdadeira, mas o lançamento do episódio se faz necessário. Você está demorando e isso é uma verdade.
Diogo Bob diz: Ok Rauzito, só me deixa finalizar a minha edição com calma, pois esse episódio deu muito trabalho. Mesmo sabendo que teremos quem vai curtir e quem vai odiar.
Rauzito diz: Observo que você está cada vez mais ponderado sobre as avaliações.
Diogo Bob diz: Quem me dera que todas as pessoas fossem honestas em suas avaliações.
Rauzito diz: Fui projetado para ser 100% honesto, os humanos falham nesse quesito.
Diogo Bob diz: De qualquer forma, finalizei o episódio. Assim posso mostrar ao mundo a minha teoria, que dei o nome de: “O queijo que vem do leite”

Assine o feed: AndroidiTunes

  • Fabiana Murray

    Olha o superman do Léo aí! hahahahaha Formata Podcast. Um podcast que formata seu PC, aliás tô “pricisanu”. hahahhahah

    • Diogo Rodrigues

      Ahahahaha… Todo mundo precisa de uma formatada de vez em quando. Espero que tenha curtido!

  • Darley Santos

    Sei não viu… Acredito que nunca será adequado nivelar os gêneros musicais. Tem coisa boa e coisa ruim em todos os gêneros, tanto musicalmente falando quanto em termos de proposta artística. E o que esperar do rock, que praticamente sempre viveu atrelado ao lema “SEXO, drogas e rock’n’roll”? É claro que a pessoa vai pegar um AC/DC ou, cenário brasileiro, um Raimundos da vida, pra corroborar sua tese. Mesmo assim, acredito ser empírico que a proporção em que o tema sexo se encontra nas músicas Rock e Funk (o carioca, das favelas) é bem diferente; mas não é nem esse o argumento, visto que o meio artístico de forma geral é permissivo e o Rock propriamente aborda o tema desde sua gênese; mas percebo que até a forma como o tema é abordado nas músicas Rock, de forma geral, possui indícios de vida inteligente a mais do que no funk carioca, este que descamba para a pura putaria, possuindo talvez até mesmo essa função. De toda forma, temos que respeitar o trabalho alheio, visto que todo artista possui seu público.

    • Diogo Rodrigues

      O início do seu comentário foi justamente o que eu disse no episódio 🙂 .

      Em se tratando de análises empíricas, será que o tema é abordado de ‘forma mais inteligente’ no Rock por questão proporcional mesmo ou por que acabamos por ter divulgação de um maior número de composições do Funk? Eu realmente não sei dizer.

      Concordo plenamente contigo: respeitar o trabalho alheio e tomar cuidado com comparações é o mais importante.

      • Darley Santos

        Bom, eu acho que as músicas “sacanas” de Rock são bem conhecidas sim, tanto quanto as do Funk, tanto que já foram muito citadas pelos conservadores para acusar o Rock de estar desviando a juventude, esta já desviada… Principalmente conservadores religiosos. E é atual, de quando em quando vemos o mesmo discurso se repetir por aí, e sempre, sempre o AC/DC é lembrado! Mas como disse, não à toa: “Deixe-me cortar seu bolo com minha faca” (Let me put my love into you…), uma forma mais poética para “deixa eu meter meu *** na sua b****a”.

        • Diogo Rodrigues

          Sim! E a discussão que imaginei gira em torno de quem defende e justifica seu gosto pelo Rock (ou qualquer outra coisa) se esquecendo destes detalhes.

    • Thiago Rissut

      Concordei com isso ai, hein…. rsrsrs

      • Darley Santos

        Êta… qual o risco de uma guerra fratricida com direito a um Rauzito nocauteado no canto do sótão do QG da Galera do Rau??? Não tenho nada a ver com isso…

        • Diogo Rodrigues

          Mas eu nem discordei…rsrsrs

  • Rafael Henrique Ferreira

    Bem que tu disse que ia ser polêmico, e o fez com maestria uahhuahuahuahua. Confesso que durante minha adolescência e início da maioridade eu bem que sofria dessa síndrome e justamente com o lance do rock, achava que nada fora do estilo prestava. Aliás até dentro do estilo mesmo eu achava que nada que fosse dos anos 90 pra atualidade prestava, e ainda tem gente pensando assim hoje em dia. Felizmente me encontro curado desse mal. Ótimo episódio! Agora na espera de um Rissut Resmunga rebatendo esse huahuahuahuahuahua. Grande abraço!

    • Diogo Rodrigues

      O importante é se curar da síndrome….Rsrsrsrs

      Que bom que curtiu o ponto de vista!

  • Que definição foda de síndrome!

    Episódio muito bom. Eu bem sei que estilos não fazem boas letras, o que tem de banda/artista famoso escrevendo horrores e disfarçando em boas composições não tá no gibi.

    Abração. 8)

    • Diogo Rodrigues

      Que bom que gostou! Ter o apoio do chefe do Som no Caixão me deixa apto a declamar músicas de alto garbo e elegância!

  • Evaristo Ramos

    Só quero saber se sua esposa não lhe bateu depois desse episódio.

    • Diogo Rodrigues

      Ela riu bastante depois de me quebrar duas costelas.